Olá, leitores!

Confira todos os post anteriores: Clique Aqui!

Sobre a leitura…

O universo da leitura é um mundo fascinante, a cada novo livro iniciado uma nova aba desponta cheia de novos personagens, situações e experiências que fazem daquele momento especial. Entretanto, nem todas as pessoas que o circundam estão preparadas para entender o quanto a leitura faz parte de ti, intrínseca, tácita, praticamente, nata. Desse modo, portanto, não raro ouvimos frases e perguntas que soam sem sentido. Vamos falar sobre algumas?

“Você só lê, vai ficar doido”!

Essa frase não é exclusividade nossa, mas acabamos ouvindo também. A valer, a maioria das pessoas que se dedicam extremamente em alguma atividade, principalmente as intelectuais, (por que você raramente ouvirá alguém dizer isso a quem joga futebol sem parar) são taxadas com essa frase. Talvez sejamos doidos mesmo, pelos livros!

“Ler é coisa de velho”!

Na verdade, penso que a leitura é algo que fará a sua velhice valer a pena. O tempo é voraz, não faz juízo de valor, muito menos, retroage. Logo, parece-me claro, toda uma vida de leitura me fará e te fará ter uma velhice digna, rica, que deu sentido a sua existência. Acho que tenho 70 anos então. E você?

“Sai um pouco, você não faz nada, só lê!”

A frase dói até em lê-la. Pessoas, realmente, não entendem que você curte aquele momento de leitura, que prefere, a maioria das vezes, deixar de sair ou fazer qualquer outra atividade para terminar aquela obra que o cativou ou começar um livro que está te aguardando com seu cheiro inebriante de páginas novas. “Não faz nada” é uma sentença que, sinceramente, nem merece ser refutada, no bom português: não merece gastar saliva.

“Já tem filme desse livro, não perca seu tempo lendo isso”

Perdido em Marte (2015). Pensa em um filme bem feito, científico e tão bem dirigido que faz o Matt Damon parecer incrível. Pois é, mas o livro The Martian (2011) é disparado melhor, mais detalhado, cativante, engraçado, as narrativas correm bem e faz com que nós não queiramos parar de ler. É unanimidade ou, pelo menos, é maioria. Decerto, vamos ler o livro, assistir ao filme e dizer que o livro é melhor.

“Você já tem livros demais. Por que ainda quer mais?”

Alguns gostam de comprar roupas, jóias, bolsas, sapatos e dezenas de outras quinquilharias. Nós gostamos de comprar livros. Eu, por exemplo, mudei-me a pouco tempo e já estou ficando sem espaço para os novos livros adquiridos. Não sei explicar direito, só sei que foi assim.

“Eu leria mais se tivesse tempo.”

Essa talvez seja uma das maiores desculpas para os não leitores. Sem rodeio, a vida é feita de escolhas e cada escolha é uma exclusão. Uma vida sem objetivo não faz sentido. Filosofias à parte, o que quero dizer é que nós temos como um dos objetivos a leitura, logo, para lermos abdicamos, muitas vezes, de fazer outras coisas, aproveitamos o horário de almoço no trabalho, o percurso para o trabalho ou aquele momento ocioso de espera no banco. Enfim, nossa rotina diária é sempre buscar brechas para lermos. Eu, por exemplo, não posso terminar o meu dia sem pelo menos ler meus 40 minutos. E você, o que tem feito do seu tempo?

Ao cabo, todas essas frases talvez só estejam reforçando o quanto as pessoas se incomodam com a vida alheia de terceiros. Uns amam carros, veneram roupas e descabelam-se por ídolos. Nós, devoramos livros.

“Ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar compreendê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo”.
Herman Hesse

Gostou do conteúdo?

Comente, será um imenso prazer conversar com você!

Quer que mais pessoas saibam do assunto? Compartilhe, pois me ajudará muito!

Quer me indicar livros, elogiar, sugerir ou criticar? Envie um e-mail para contato@vidaliteraria.net

Siga-me também nas redes sociais para ficar por dentro das novidades.