Olá, leitores!

Hoje, nós vamos ser elementares!

Confira todos os posts anteriores: Clique Aqui!

Caindo de paraquedas:

Um Estudo em Vermelho é o romance de abertura do clássico investigador particular Sr. Sherlock Holmes, que, originalmente, foi publicado em 1887. O livro não só é a primeira aparição de Holmes, mas marca também o seu primeiro encontro com o seu parceiro Dr. Watson. Juntos, eles investigarão todo percurso de um misterioso assassinato aparentemente sem solução.

Nota: A resenha não possui spoilers. Pode ler sem peso na consciência =).

Resenha:

Para quem nunca leu nada de Sherlock Holmes e quer começar, sem dúvida, Um Estudo Em Vermelho é a melhor opção. Além de ser cronologicamente a primeira história do nosso detetive publicada, mostra-nos como tudo realmente começou.

“1878 formei-me em medicina pela universidade de Londres e fui para Netley, a fim de fazer o curso indicado para os cirurgiões do Exército”.

Dr. Watson, que conta, em primeira pessoa, a maioria dos romances e contos de Holmes, é apresentado a nós logo nas primeiras páginas. Ele está à procura de um novo apartamento, pois acaba de vir da guerra afegã e quer sossego na vida. Um colega em comum apresenta Holmes a Watson e eles acabam dividindo o apartamento no conhecido endereço Baker Street, 221, B.

“Esta noite houve uma grave ocorrência no nº3 de Lauriston Gardens, nas proximidades da Brixton Road”.

O primeiro caso da nosso dupla é um misterioso assassinato na Lauriston Gardens, um cadáver foi encontrado morto sem sequelas de briga ou ferimentos, há sangue espalhado pelo chão e ninguém faz a mínima ideia de como o delito aconteceu.

“Holmes talvez seja científico demais para o meu gosto, chega beirar a insensibilidade”.

O livro é bem curto, algumas edições nem chegam às 200 páginas, as quais são divididas em duas partes. Na primeira, Sherlock esbanja categoria para resolver o crime, é de uma genialidade ímpar, usa até garotos que vivem na rua para ajudar a solucionar o assassinato. Sua minuciosidade para juntar os fatos é desumana, os trejeitos, que são curiosos, fazem de Holmes um personagem “único” na literatura. Na segunda parte, contada em terceira pessoa, nós vamos ter a ciência de quem era e como foi a trajetória do cadáver que foi encontrado estirado no chão da casa, a pessoa que supostamente cometeu o assassinato e os motivos que levaram à derradeira morte de Enoch J. Drebber.

– O último elo! – exclamou, exultante. – Meu caso está completo!

Um Estudo Em Vermelho é o livro que mostra com maestria como é montar um quebra-cabeça de primeira qualidade, toda a forma com que Conan Doyle entrelaça os acontecimentos é magnífica. A segunda parte do livro que, a principio, não faz o menor sentido, aos poucos, a história vai se clareando como a névoa uma densa que se esvai aos poucos em uma serra. Não é, na minha opinião, a melhor história do Sherlock Holmes, mas é foi pelo sucesso estrondoso desse curioso personagem que sir Conan Doyele pôde continuar a escrever outros romances e contos ainda mais trabalhados do sensacional Holmes! Não deixe de conferir esse livro fantástico!

Situando-se:

Sr. Arthur Conan Doyle nasceu em 22 de maio de 1859, em Edimburgo, capital da Escócia. Em 1876, ingressou na Universidade de Edimburgo, no curso de medicina. Foi lá que conheceu o dr. Joseph Bell, cujos surpreendentes métodos de dedução e análise foram de grande influência na futura criação de seu detetive.
Além do dr. Bell, Doyle se inspirou em Émile Gaboriau e no detetive Dupin – de Edgar Allan Poe – para conceber a primeira versão do que seria o personagem que conhecemos hoje: um tal Sherringford Holmes, posteriormente Sherlock Holmes.
Depois de muitas tentativas e frustrações, em 1887 Doyle conseguiu que sua primeira história com o detetive, Um estudo Em Vermelho, fosse publicada. A boa aceitação do público o levou a escrever a segunda história de Holmes, o Sinal dos Quatros.
Doyle acabou abandonando a medicina para seguir definitivamente a carreira literária. As histórias de Sherlock Holmes tornaram-se mais e mais populares, obrigando o autor a continuar criando casos para o seu detetive. E, quanto mais Holmes expunha suas habilidades para um público estupefato, mais obscurecidas ficavam as outras obras de Doyle.
Para sua grande surpresa, a morte de Sherlock Holmes, publicada em 1893 no caso “O Problema Final”, chocou milhares de pessoas. Assim, em meio a um turbilhão de protestos e insultos, o autor foi obrigado a ressuscitar o personagem no caso “A Casa Vazia”, em 1903.
Em 1902, Doyle foi agraciado pelo governo inglês com o título de sir, pelo panfleto patriótico The War in South Africa.
Debilitado por um ataque cardíaco, sir Arthur Conan Doyle morreu em 7 de julho de 1930, em Crowborough, condado de Sussex, na Inglaterra.

Além das páginas:

Sherlock Holmes é um fenômeno gigantesco, chegando à marca de aparecer em mais de 200 filmes! Surreal!

Confira alguns nomes:

Sherlock Holmes – 2009 / Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras – 2011 / O Enigma da Pirâmide – 1985 / Sherlock Holmes e a Arma Secreta – 1942 / A Casa do Medo – 1945 / Sherlock & Eu – 1988 / As Névoas do Terror – 1965 / Visões de Sherlock Holmes – 1976 / Os Cão dos Baskervilles – 1939 / Sherlock Holmes: O Assassinato na Ópera – 1991.
Já viu que seria impossível falar sobre os filmes do holmes né? Olha que a lista nem está no começo ainda…

A Série:

Se você possui Netflix você é uma pessoa mais feliz, pois lá está uma série incrível, com apenas 10 episódios divididos em 3 temporadas, “Sherlock” é uma séria baseada nas histórias de Holmes e que traz para a nossa realidade toda trama e sagacidade do nosso personagem. Se ainda não assistiu, pare o que está fazendo e vá agora assistir. Você não irá se arrepender!

Assista ao trailer:



E tem mais! Em 2017 sairá a quarta temporada!

Quer mais de Sherlock Holmes? Ouça o episódio do Nerdcast abaixo, está bem divertido!

Clique Aqui —->Elementar Meu Caro Nerd!

Gostou do conteúdo?

Comente, será um imenso prazer conversar com você!

Quer que mais pessoas saibam do assunto? Compartilhe, pois me ajudará muito!

Quer me indicar livros, elogiar, sugerir ou criticar? Envie um e-mail para contato@vidaliteraria.net

Siga-me também nas redes sociais para ficar por dentro das novidades.