Olá, leitores!

Confira todos os post anteriores: Clique Aqui!

Essa foto acima diz muito…

Hoje, estava eu arrumando os livros, tirando cuidadosamente a poeira com um pincel comprado apenas para isso, limpando a estante e organizando tudo quando, de repente, deparo-me com o livro à direita. Imediatamente as memórias afloraram, principalmente, por que ao olhar para a outra extremidade da estante estava o livro à esquerda. Por que estou dizendo isso?

A infância e a literatura…

À direita, você visualiza uma edição traduzida e adaptada por Walcyr Carrasco (Sim, o mesmo das novelas) de Os Miseráveis, um livro de apenas 124 páginas, com uma linguagem infanto juvenil acessível. Entretanto, o meu contato com esse livro aos 13 anos de idade foi um desastre! Lembro-me da professora de português falando sobre o livro e as atividades que iríamos desenvolver ao final da leitura. Quando comecei as primeiras páginas já percebi que aquilo não ia ser tarefa fácil, bocejava demais, a leitura não fluía, concentração -30. O que aconteceu? Li e não me lembro, pelo menos agora, que tenha entendido muita coisa, o que lembro claramente é que era uma história triste. Recorri a resumos e colegas e tudo que podia para que não fosse mal nas atividades, mas, ao cabo, a resultante dessa leitura, sem dúvida, foi ruim.

Choque de realidade…

À esquerda você visualiza a edição da falecida Cosac Naify em dois livros do mesmo Os Miseráveis. Após um bom tempo, depois da minha traumática experiência na adolescência, resolvi dar mais uma chance para a obra, mesmo porque, foi apenas depois que descobri que Os Miseráveis era um baita calhamaço e não aquele livro pequenino que eu possuía. Sabe o resultado? A história me surpreendeu, detalhes que outrora passaram pela minha leitura pobre agora eu conseguira pegar, apesar de ser um livro gigantesco, a leitura foi agradável e centenas de vezes mais produtiva do que a primeira. Enfim, o livro passou a fazer sentido, deixou de ser o patinho feio e tornou-se especial.

O porquê desse texto…

Por quis compartilhar isso com vocês? Sabe, hoje não vim aqui dizer sobre nossa educação empobrecida de ensino literário durante a estada no ensino fundamental e médio. O que almejo, na verdade, é tentar despertar em você o desejo de dar mais uma chance aquela obra que por algum motivo te decepcionou, tenho a nítida impressão que a literatura e as suas obras são feitas para cada momento da vida. Aos 13 anos Os Miseráveis era uma história simplória e qualquer pra mim, mas aos 22 fez outro sentido, aos 50, caso eu releia, fará outro. Tenho certeza que você tem experiência negativa com algum livro. Enfim, talvez você leia o tal livro e ainda não faça sentido, é assim mesmo, acontece. Todavia, dê uma chance!

Gostou do conteúdo?

Comente, será um imenso prazer conversar com você!

Quer que mais pessoas saibam do assunto? Compartilhe, pois me ajudará muito!

Quer me indicar livros, elogiar, sugerir ou criticar? Envie um e-mail para contato@vidaliteraria.net

Siga-me também nas redes sociais para ficar por dentro das novidades.