Olá,leitores!

Hoje, estamos Perdidos em Marte!

Confira todos os posts anteriores: Clique Aqui!

Caindo de Paraquedas:

Toda criança, ou pelo menos a maioria, tem um dia o pensamento e a vontade de ser um astronauta. Imagine só então além poder vestir aquela indumentária, que deixaria qualquer um admirado, viajar em uma missão para marte. Pois esta é a missão Ares três de Perdido em Marte. No entanto, uma tempestade de areia surpreende a tripulação, que é composta por seis astronautas, e o nosso protagonista Mark Watney, um dos integrantes da missão, é atingido por algum um objeto no meio da tempestade e não consegue retornar para a Hermes. Todos acham que Watney está morto, tendo inclusive um velório, porém, ele está vivo e precisa arrumar um jeito de sobreviver no planeta dos marcianos.

Nota: A resenha abaixo pode conter spoilers. Não estrague sua experiência, sugiro que leia o livro antes e posteriormente venha conversar um pouco comigo..

Resenha:

Frente à breve descrição acima mencionada, vamos conversar sobre o divertido e talvez previsível Perdido em Marte. Há algo, na minha concepção, que merece ser reconhecida: a escrita. Andy Weir, o autor, consegue transmitir bem o que ele quer, com uma narrativa, na maioria das vezes, cativante e engraçada. A história do livro é narrada pela visão do protagonista Mark Watney e predominantemente na primeira pessoa, modelo que nem sempre me agrada. Entretanto, o autor despende um esforço claramente notável para que a linguagem flua, seja coesa e coerente, abrangendo assim um público maior de leitores. Vale salientar que o senso de humor que ele imprime ao Mark é incrível. Imagine só você sonhador astronauta que realizou o sonho de estar em uma missão em marte e a reviravolta acontece, aquilo que outrora era sentimento de sonho realizado, de ideal, de olhos fulgidos e do vulgo sorriso de orelha a orelha, torna-se tormenta, dor, certeza de morte. Pois bem, todo esse drama, medo de morrer e sentimento de que nada vai dar certo é suprimido imediatamente, quase sempre, pelas piadas que permearão toda a história. Mesmo após o acidente que o deixa na inóspita marte ele é capaz de dizer:

“Que fique registrado: não morri em Sol 6. O restante da tripulação certamente achou que
eu tivesse morrido, e não posso culpá-los. Talvez decretem um dia de luto nacional em
minha homenagem e minha página na Wikipédia vá dizer: “Mark Watney foi o único ser
humano que morreu em Marte.”

Mas não para por aí. Em certo momento, as suas conversas com a NASA estão sendo transmitidas para o mundo inteiro, confira:

12:04]JPL: Cuidado com o vocabulário. Tudo o que você digita está sendo transmitido ao vivo para o mundo inteiro.
[12:15]WATNEY: Veja! Um par de peitos! -> (.Y.)

Apesar disso, confesso que o livro em certo momento se torna muito descritivo, e se você não fizer uma leitura concentrada, não der importância ou não gravar siglas como VDM (veículo de descida em Marte) ou VAM (veículo de ascensão de Marte), certamente não conseguirá entender o livro completamente, pois, quando o livro “pega no tranco”, o autor não se preocupa mais em explicar o que significam VDM ou VAM, além de ter outros nomes como HAB, Hermes e Rover. Porém, nada disso extirpa o brilho do livro e da história.
Perdido em Marte também foi comentado por muitos críticos e cientistas como um filme que tem o melhor filme de ficção, com menos ficção e mais ciência do ano. Partindo desse princípio, Watney, nosso protagonista, para não morrer de fome, utiliza seus conhecimentos de botânica para plantar batatas, adubar com fezes humanas e produzir água com hidrogênio, acrescentando oxigênio e realizando uma queima. Apesar da plantação não ter durado a trama inteira, foi realmente engraçado, apesar de inteligente, essa ideia.

“Ao vencido, ódio ou compaixão, ao vencedor, as batatas.”
Trecho do livro Quincas Borba.

Por fim, teve algo que realmente me incomodou durante todo o livro. A cada página lida, a cada piada e acontecimento, mais parecia que o final estava ali na sua cara, que ele seria resgatado e todos iriam sair felizes para sempre. Até mesmo nos momentos cruciais, os quais deveriam estar o apogeu e o clímax de todo bom e velho survival, em nenhum momento o livro me passou a sensação de que ele não sairia de Marte vivo. Confesso que o fato dele sempre ser inteligente, sagaz e quase tudo dá certo me incomodou um pouco. Pois por melhor treinada que seja a pessoa, ela está em Marte, e, sozinha. Cadê o medo? O espanto? Enfim, o livro poderia ter explorado um pouco mais nesse quesito mesmo sendo uma ficção científica.
No entanto, nada disso, de fato, tira o mérito de Perdido em Marte continuar sendo um sucesso. Ficção científica das boas. Só não encare este livro esperando grandes reviravoltas e sobrevivência estilo LOST que você vai gostar. Boa leitura!

Situando-se:

Acredite! Perdido em Marte (The Martian) é o primeiro livro de Andy Weir, que não traz um livro nada simplista. As pesquisas e o interesse desde cedo por viagem ao espaço, física e mecânica relacionada ao espaço certamente o ajudaram na confecção do livro. Ainda vale salientar que primeiramente este livro foi publicado e PDF, de graça, em seu site/blog, posteriormente teve seus direitos comprados e foi lançado no Brasil pela editora Arqueiro.

O filme:

Em 2015, dirigido por Ridley Scott, diretor de Hannibal, Allien e também Prometheus (risos), foi lançado o filme Perdido em Marte. Que conta como ator principal Matt Damon, que também já fez, entre outros filmes, “O resgate do soldado Ryan”. A trama, que possui 2h e 30m, é uma adaptação do livro, ou seja, fique ciente de que não é a história ipsi literis. Fato que pode ser comprovado facilmente. Por exemplo, os dias, no diário do livro e nas gravações que são feitas no filme por Mark, são contatos por SOIS, e se você é atento e meticuloso, certamente percebeu que o livro começa em SOL 6 e no filme em SOL 23. Deixando essas diferenças que não acrescentam e nem retiram nada, os finais e a forma como ele é resgatado também são claramente distintas.
Lembra daquilo que eu disse no livro que as descrições são gigantescas e, por vezes, chatas? Pois é, no filme não acontece nada disso, e creio que nem seria necessário, pois nós temos a imagem e o áudio para ajudar na compreensão. Porém, quem leu o livro antes de assistir ao filme certamente perceberá a história “correndo” mais do que no livro. Também vale ressaltar que ele ainda é contado na visão do Mark em primeira pessoa, que narra bastante, mas nem se compara ao livro que, de fato, é um diário de bordo. Ainda vale salientar que no filme o resgate final e a sua propulsão no estilo Homem de Ferro foi triste de assistir.
Portanto, posso concluir que o filme facilita, e muito, o entendimento da narrativa. Que te levará a uma boa experiência. No entanto, no meu instinto de piegas, se tivesse que escolher entre um ou outro, certamente ficaria com o livro, nada substitui a minha liberdade de imaginar as naves, a roupa de astronauta, o ambiente, e tudo do jeito que eu quiser. Mesmo assim, assistam, vale a pena!

Entrevista (em inglês) com Andy Weir: Clique Aqui

Entrevista (legendada em português) com Matt Damon no The Noite: Clique Aqui

Entrevista (legendado em português) com Ridley Scott e elenco: Clique Aqui

Além das Páginas:

Vamos falar um pouco sobre ciência?

Eu acompanho um canal no YouTube chamado Nerdologia, apresentado pelo Atila Iamarino, que também tem um blog que fala sobre ciência chamado Rainha Vermelha. Seguem os links para os programas que abrangem algo do livro e do filme:

• Nº 65 – Colonização espacial: Clique Aqui
• 103 – Perdido em Marte: Clique Aqui

Atila, no programa sobre colonização espacial, cita o livro “Próxima Parada Marte” da Mary Roach. Não resisti, adquiri o livro para ler.

*Título em Inglês

*Título em Inglês

Lendo este livro você certamente terá um choque de realidade. Na verdade, eu diria uma “refrescada” na memória. Pois comumente nós observamos as vitórias, glórias e conquistas das pessoas e não pensamos em uma pergunta crucial: O que esta pessoa teve que fazer pra chegar lá? Quais foram os desafios? Quais foram as renúncias feitas?
Posso facilmente resumir o livro em uma palavra. Incrível. Nele você encontrará o que realmente um astronauta precisará para ir ao tão sonhado planeta marciano. Mary Roach nos conta sobre assuntos complexos de uma maneira simples e com bastante humor:

Procurei num dicionário on-line o termo sucumbência. Ele me perguntou de volta: “Você quis dizer suculentas”?

Você descobrirá que roncar pode tirar o astronauta de uma viagem espacial, o treinamento para defecar em Marte e que já cogitaram, como alimento para os cosmonautas, a própria roupa deles!
Mas não se engane, pois o livro trata de ciência e o empenho necessário para realizar viagens espaciais. Você encontrará no livro as situações de confinamento dos astronautas, as muitas simulações feitas antes de viajar, como é ficar dias sem tomar banho, por que a NASA paga 17 mil dólares por 3 meses de trabalho para pessoas ficarem 24h deitadas em uma cama em observação e como são feitos os testes de impacto com cadáveres pela NASA. Leia! Você não irá se arrepender!

Você sabe quem é o único brasileiro que foi para a espaço? Pois é, o nome dele é Marcos Pontes. Quer conhecer um pouco sobre a vida de um astronauta de uma forma bem humarada e divertida? Então, eu te indico o NerdCast,que é um Podcast que fala sobre muitos assuntos, mas ouça especificamente o episódio número 484. De qualquer forma, segue o link abaixo:

Nerdcast 484: Clique Aqui

Enfim, ainda existem muitas matérias e projetos sobre a ida à Marte, vou listar alguns links:

Matéria Revista Planeta

Matéria Revista Super

Matéria Revista History

Matéria Revista Mega Curioso

Projeto Mars ONE Clique Aqui

Site Oficial: Clique Aqui

Há pouco tempo, o Elon Musk, que é o maior idealizador de viagens a marte atualmente, dono da SpaceX e Tesla, deu uma recente palestra em um congresso internacional e falou sobre alguns pontos importantes para quem quer conhecer o projeto. Infelizmente, a palestra está em inglês, no entanto, não deixe de conferir. Vale a pena!

Ainda tenho uma última dica, para quem quer conhecer um portal que fala sobre coisas do espaço em português, o mais legal que pude encontrar, que sempre tem atualizações, é o site Spacetoday,Deem uma conferida!

Vídeo do canal Spacetoday sobre a palestra do Elon Musk:

Gostou do conteúdo?

Comente, será um imenso prazer conversar com você!

Quer que mais pessoas saibam do assunto? Compartilhe, pois me ajudará muito!

Quer me indicar livros, elogiar, sugerir ou criticar? Envie um e-mail para contato@vidaliteraria.net!

Siga-me também nas redes sociais para ficar por dentro das novidades.